Os vencedores do Prêmio Inoves Ciclo 2015 começaram a receber, nesta quarta-feira (30), os kits de informática, composto por sete tablets. A entrega foi feita pela secretária de Estado de Gestão e Recursos Humanos do Espírito Santo (Seger-ES), Dayle Lemos; o gerente do Inoves, Manoel Carlos Rocha Lima; o subsecretário para Assuntos do Sistema Penal, Alessandro Ferreira de Souza; e o diretor de Inspeção e Controle da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), Wagner Fischer Sarmento.

A primeira equipe a receber os equipamentos foi a da Sejus, liderada por Eugênio Ricas, que venceu a categoria “Uso Eficiente dos Recursos Públicos” com o trabalho “Indicadores de Eficiência das Unidades Prisionais”. Na ocasião, Dayse parabenizou os premiados e falou sobre a representatividade do projeto. “Fico feliz por poder reconhecer trabalhos de equipe tão importantes como esse. Sabemos que para conquistar o Prêmio Inoves ele teve de passar por diferentes etapas e atender a critérios do programa. Nosso reconhecimento é fruto do esforço de todos vocês”.

O secretário Eugênio Ricas comemorou a entrega da premiação e destacou o empenho de todos os servidores envolvidos: “a sensação de receber essa premiação é a melhor possível. Esse projeto foi idealizado por poucos, mas abraçado por muitos e apresentou resultados significativos para o sistema prisional capixaba. Com o projeto, a avaliação da gestão das unidades prisionais deixou de ser feita de forma empírica e passou a ser feita com base em metas e vários tipos de indicadores”, explicou.

O projeto – “Indicadores de Eficiência das Unidades Prisionais” é desenvolvido pela Subsecretaria para Assuntos do Sistema Penal e estabelece indicadores de eficiência, por meio de metas a serem alcançadas. Com isso, cada unidade prisional passou a ser efetivamente verificada. Os indicadores incluem números de fugas, motins e rebeliões, atendimentos médicos, odontológicos e jurídicos. A nova prática proporcionou melhoria na segurança das unidades prisionais e nos serviços prestados aos presos. Também permitiu um melhor diagnóstico dos espaços prisionais, corrigindo os desvios e adequando-se as gestões.

Com informações da Ascom/Seger-ES

Voltar

Outras Notícias